Menu
pode-ate-causar-confusoes-mas-o-corretor-ortografico-ja-salvou-muita-gente
03 julho de 2018

Um dos principais recursos de quem escreve é o corretor automático de digitação e estilo. Este texto, por exemplo, foi escrito no Word. O que muita gente talvez não saiba é que a tecnologia embarcada no pacote Office foi desenvolvida no Brasil, mais especificamente no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação, o ICMC, da Universidade de São Paulo, em São Carlos.

Apelidado de ReGra, o projeto surgiu a pedido da Itautec para ser comercializado, via CD, para empresas. O conceito evoluiu e se tornou capaz de realizar tanto correções gramaticais, como de estilo. Criada em 1993, a tecnologia foi licenciada para a Microsoft em 2000 e, em 2008, a empresa americana comprou definitivamente os direitos de uso, sendo hoje 100% original do pacote Office.

1º do mundo feito para o português

Na mesma época, pouco tempo depois, uma empresa portuguesa também lançou um projeto parecido, com foco no idioma falado lá. O programa tinha como principal recurso a revisão do texto em português de Portugal.

A trajetória dos corretores ortográficos instalados no pacote Office, em diferentes línguas, segue a mesma linha brasileira: inicialmente desenvolvidos por nativos, ampliaram seus conceitos em recursos (revisão de estilo, por exemplo), licenciaram suas tecnologias para a empresa americana e, depois, foram vendidos totalmente. Desde 2010, a maioria dos corretores de idiomas já é de propriedade e aperfeiçoamento da própria Microsoft.